domingo, 4 de agosto de 2013

Senhores do Mesozóico: Angaturama!

Por Marcelo Domingos Leal


O Angaturama limai ou dinossauro nobre (angaturama na linguagem Tupi significa “nobre”, e faz referência a um espírito protetor), é uma espécie de dinossauro terápode, ou seja, bípede (locomove-se sobre apenas duas patas) e carnívoro. Foi descrito cientificamente em 1996 pelos paleontólogos Kellner e Campos, mas pode ter sido encontrado décadas antes por trabalhadores que retiravam lajes de pedreiras para calçamento de passeio e piscinas. Para a identificação do animal, os cientistas contaram apenas com ossos do crânio. Como todos os outros dinossauros, o Angaturama viveu na Era Mesozóica, mas em um período chamado de cretáceo inferior, há cerca de 110 milhões de anos atrás. Seu local de descoberta foi a Bacia do Araripe, na formação Santana, no extremo sul do estado do Ceará.

É um dinossauro de proporções medianas, medindo até 3,0 m de altura e 8 m de comprimento, chegando a 500 Kg de massa. É da família dos espinossaurídeos, possuindo, então, algumas características comuns deste grupo de animais: cabeça longa, muito parecida com a de um crocodilo e braços longos e fortes – algo incomum entre os terápodes como os tiranossaurídeos. Não se sabe se ele possuía uma vela nas costas, como o seu parente o Spinosaurus aegyptiacus (encontrado no continente africano) mas, seu crânio possuía uma crista, com as narinas posicionadas exatamente à frente dos olhos, como encontrado hoje nas aves. Seus hábitos alimentares incluíam a ingestão de peixes, ou seja, um dinossauro piscívoro, e de outros pequenos animais.

REFERÊNCIAS

http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=22&sid=9

Livro: O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil

Share:

0 comentários:

Postar um comentário