sábado, 26 de julho de 2014

DINOSSAUROS: SENHORES DO MESOZÓICO: STAURIKOSARUS

Por: Marcelo Domingos Leal
Dinossauro Brasileiro, Staurikosaurus

Figura 01 – Reconstituição de um Staurikosaurus pricei. Modificado de Kellner et al., 1999. 
Fonte: http://www.fgel.uerj.br/

O Staurikosaurus pricei tem seu nome relacionado com uma constelação presente no céu brasileiro e ao seu descobridor. Então, Staurikosaurus significa lagarto do Cruzeiro do Sul, e pricei, é em homenagem ao seu descobridor, o paleontólogo brasileiro Llewellyn Ivor Price. Essa citação ao Cruzeiro se dá pela dificuldade de se achar dinossauros no hemisfério Sul, e quando este espécime foi descrito cientificamente em 1970 por Edwin Harris Colbert, que trabalhava no Museu Americano de História Natural, decidiu-se por este nome. 

O primeiro espécime conhecido de Staurikosaurus foi recuperado a partir do Sítio Paleontológico Jazigo Cinco da Formação Santa Maria na Bacia do Paraná, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O único espécime encontrado está depositado no Museu de História Natural de Nova York, EUA. Porém, uma réplica de altíssima qualidade encontra-s em exposição no Museu Nacional do Rio de Janeiro.

Esta espécie foi uma das mais completas já encontrada em solo brasileiro, o que facilitou e muito a identificação desta nova espécie para o mundo dos dinossauros. Esse animal está classificado na família Herrerasauridae, juntamente com Herrerasaurus, um dinossauro encontrado no norte da Argentina. A posição desse grupo ainda é incerta, mas acredita-se que esteja na base da evolução do grupo Saurischia, de forma que Staurikosaurus tem importância no entendimento da evolução inicial de Dinosauria. Como todos os outros dinossauros, o Staurikosaurus viveu na Era Mesozóica, mas em um período chamado de Triássico Superior, a cerca de 225 milhões de anos atrás.

Era um dinossauro de porte pequeno, considerado por muitos paleontólogos como um dinossauros primitivo, ou seja, um dos que vem a dar origem a grande gama destes animais presentes no planeta no período Jurássico e Cretáceo. Tinha cerca de 2 m de comprimento, por até 1 m de altura, podendo chegar a uma massa de 30 Kg. Apesar de pequeno, o Staurikosaurus era um predador ativo, que praticava o bipedalismo (era bípede, ou seja, apoiava-se sobre dois membros locomotores posteriores), e caçava vertebrados terrestres como cinodontes, rincossauros e sinapsídeos. Estudos relacionados a anatomia do animal, sugerem que sua mandíbula podia movimentar-se para frente e para trás, bem como para cima e para baixo. Esta característica era comum em terápodes de sua época, mas sumiu em terápodes posteriores.

PARA SABER MAIS:

ANELLI, L. E. O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil. Ilustrações de Felipe Alves Elias. São Paulo: Peirópolis, 2010.

Dinos Virtuais – Exposição de Paleovertebrados – Staurikosaurus pricei. Acesso em 2014. Disponível em: http://www.latec.ufrj.br/dinosvirtuais/catalogo/staurikosaurus_pricei.html

REFERÊNCIAS

ANELLI, L. E. O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil. Ilustrações de Felipe Alves Elias. São Paulo: Peirópolis, 2010.
LEAL, M. D. Apostila Procurando os Dinossauros. Pinhais: PNFM, 2007.

Dinossauros no Brasil. Acesso em: 2014. Disponível em: http://www.fgel.uerj.br/dgrg/webdgrg/Timescale/Dinossauros.htm
Dinos Virtuais – Exposição de Paleovertebrados – Staurikosaurus pricei. Acesso em 2014. Disponível em: http://www.latec.ufrj.br/dinosvirtuais/catalogo/staurikosaurus_pricei.html

Share:

0 comentários:

Postar um comentário