terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Acidentes Hidrológicos e Geológicos Urbanos.

Por Anelissa Carinne dos Santos


A ocupação do solo nas cidades “vem se caracterizando por não obedecer a qualquer critério de planejamento em relação aos recursos naturais existentes e ao interesse maior de bem-estar da coletividade.” (OLIVEIRA, p. 9)

Este uso inadequado pode causar: voçorocas, erosão, afundamentos cársticos, assoreamentos, erosão marinha, inundações, destruição de habitações, desvalorização imobiliária, transmissão de doenças, entre outros.

De que forma o ser humano altera as características do ambiente, prejudicando-o?

- Retirada de cobertura vegetal do terreno;
- Obras que propiciam a impermeabilização do solo (construção de casas, ruas, rodovias e estradas)
- Despejo de resíduos sólidos urbanos, esgotos, aterros, canalização dos córregos;
- Ocupação urbana irregular, mineração sem controle ambiental, exploração intensiva de água subterrânea, agricultura intensiva, etc;

Algumas formas de mitigar estes problemas ambientais:

- Não ocupar as áreas de inundação;
- Não alterar (ou alterar o menos possível) as características da bacia hidrográfica;
- Zoneamento das áreas de várzeas;
- Evitar canalizações;
- Minimização da geração de efluentes;
- Recomposição das matas ciliares;
- Diminuição de bombeamento de água no subsolo;
- Disciplinamento das atividades de mineração;
- Campanhas de informação;
- Programas de desenvolvimento de áreas de carste, minimizando riscos;
- Estudos das áreas litorâneas.

Apoio bibliográfico
OLIVEIRA, L. M. Acidentes Geológicos Urbanos. Curitiba: Mineropar, 2010. 1. ed.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário