quarta-feira, 27 de março de 2013

O motor de Faraday!

Por Elisiane Campos de Oliveira Albrech

Hans Christian Oersted
Desde muito se conhece os fenômenos elétricos e magnéticos, mas apenas no século XIX, com uma demonstração do dinamarquês Hans Christian Oersted (1777-1851), professor de física da universidade de Copenhague, foi possível perceber que estes fenômenos não eram tão independentes como se supunha até então. No ano de 1820, Hans Oersted mostrou experimentalmente que um fio percorrido por corrente elétrica, colocado próximo de uma bússola, era capaz de provocar desvio na agulha magnética. Dessa forma, comprovou-se a ligação existente entre eletricidade e magnetismo.

Mas o que isto tem a vez com o nosso cotidiano? 

Michael Faraday
Foi através desta descoberta que Michael Faraday (1791- 1867) desenvolveu os motores elétricos. Faraday foi um físico-químico inglês e um dos maiores experimentadores da ciência, e através dos experimentos de Faraday foi possível o desenvolvimento de diversos equipamentos eletrônicos. Você seria capaz de imaginar o mundo sem estes motores elétricos, ou os transtornos causados pela falta desses equipamentos? Não haveria eletrodomésticos, como liquidificadores, batedeiras, nem ferramentas, nem tampouco varias maquinas industriais e meios de transportes que facilitam a vida do homem moderno.

Como foi que Michael Faraday conseguiu tamanha façanha? Após estudar a experiência de Oersted, ele fez um questionamento: se um fio percorrido por uma corrente elétrica era capaz de provar um desvio em uma agulha magnética, será que o oposto também aconteceria? Ou seja, será que um imã exerceria alguma influência sobre um material condutor. Oersted contatou que quando a corrente elétrica passa pelo interior do fio ela gera entorno deste um campo magnético. Faraday através de vários experimentos conseguiu demostrar que um campo magnético gera um campo elétrico. Como? O campo magnético do imã gera uma força sobre as cargas elétricas do material condutor, essas então sofrem uma ação gerando assim uma corrente elétrica, lembrando que é necessário que haja um movimento relativo entre o imã e o material condutor, ou seja, que exista um fluxo variado no campo magnético. Faraday utilizou esta descoberta muito mais como forma de entretenimento como forma de utilidade para o homem. Foi com o desenvolvimento da tecnologia que houve o surgimento de diversos equipamentos eletrônicos.

Indução Magnética

Então você pode agradecer a Faraday e ao Oersted por existirem objetos como os eletroímãs, motores elétricos, eletrodomésticos, ferramentas, usinas elétricas, alto-falantes, alternadores de carros, maquinas como os maglev que são os transportes por levitação magnética, utilizados na China. Dínamos, transformadores e muitos outros objetos que poderiam ser citados. Aqui vale ressaltar que não devemos nos esquecer de que a ciência ele não é feita apenas de um, ou dois cientistas, mas de muitos um geralmente completa o trabalho do outro. A ciência é feita de um todo, não de partes fragmentadas.

O tema é muito extenso porém, paremos por aqui por dois motivos: o primeiro para não deixar nossos leitores entediados e o outro é que teremos muitas oportunidades para  retornamos a este tema.



Share:

0 comentários:

Postar um comentário