domingo, 30 de junho de 2013

Os 44 anos do pouso da Águia: a humanidade conquista a Lua!

Por Anisio Lasievicz

Terra vista da Lua. Fonte: NASA

Em 23 de outubro de 1906 mais de mil pessoas testemunham o feito de Alberto Santos Dumont no Campo de Bagatelle, na França, quando este decola com seu 14-Bis por meios próprios, alçando um voo de aproximadamente sete segundos e percorrendo cerca de 60 metros. Anos mais tarde, a felicidade de Santos Dumont se esvaía ao ver sua criação potencializando a morte na 1ª Guerra Mundial e outros conflitos subsequentes. Entretanto, estava provado que o ser humano poderia voar, ou seja, o céu foi conquistado!

Vencido este desafio, almejava-se ir além. O espaço era, agora, a meta a ser conquistada. 

O mundo polarizado pós 2ª Guerra Mundial testemunhou a competição acirrada entre americanos e soviéticos na corrida armamentista e no desenvolvimento de tecnologias visando provar a supremacia de um ou outro regime político e, dentre os vários campos desta disputa, destaca-se a conquista do espaço. Diversos obstáculos são transpostos um a um, a começar pelo sistema de propulsão que venceria a atração gravitacional, passando pelas possibilidades de comunicação, proteção, mobilidade e segurança.

Sputnik 1.
As três primeiras etapas da missão de levar o homem à Lua foram vencidas pelos russos. Em 4 de outubro de 1957 decola, na base de lançamentos de Baikonur no Cazaquistão o Foguete Sputnik, levando uma bola e cerca de 60cm de diâmetro e 80kg de massa com o mesmo nome, cuja função era emitir um bip que poderia ser captado por qualquer rádio amador, a fim de verificar a transmissão de ondas eletromagnéticas no espaço.  Pouco menos de um mês depois (3 de novembro), lança-se o Sputnik 2, cuja carga era a cadela Laika, o primeiro ser vivo a ser enviado ao espaço. Mas o maior feito dos russos veio em 12 de abril de 1961, com a decolagem da nave Vostok 1, tripulada pelo cosmonauta Iuri Alekseievitch Gagarin - o primeiro ser humano no espaço e que proferiu a célebre frase: “A Terra é azul!”.

Cadela Laika.

Iuri Gagarin.

Diante de tamanho progresso russo, os americanos mobilizaram todos seus esforços na tentativa de “enviar homens à Lua e retorná-los a salvo até o final desta década”, conforme palavras do presidente John F. Kennedy em 1961.

Insígnia do Projeto Apollo.
Tal fato concretiza-se com a 11ª missão do projeto Apollo (de um total de 17), tripulada pelos astronautas Neil Armstrong (comandante), Edwin Buzz Aldrin (piloto do módulo lunar) e Michael Collins (piloto do módulo de comando). Às 17:17h do dia 20 de julho de 1969 o módulo lunar realiza a alunissagem no chamado “Mar da Tranquilidade”.

“Houston, aqui Base da Traquilidade – a águia pousou!”. A frase fazia referência ao nome do módulo “Eagle” e foi ouvida por milhões de pessoas pelo mundo afora, que acompanhavam as transmissões via televisão e rádio há mais de 300 mil quilômetros dali. Seis horas e meia após o pouso, Neil Armstrong abre a escotilha, desce pela escada e toca o solo lunar: “É um pequeno passo para um homem, mas um gigantesco passo para a humanidade”. 

Da esquerda para a direita: Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin.

Módulo lunar Eagle.

Durante duas horas e quarenta minutos, Neil Armstrong e Buzz Aldrin coletaram amostras, fizeram análises, instalaram equipamentos científicos e tiraram fotografias para documentação da paisagem lunar. Dentre os objetos deixados em solo lunar, destaca-se um espelho (utilizado para a medição precisa da distância Terra – Lua), a bandeira dos EUA e uma placa assinada pelos três astronautas e o presidente Richard Nixon com os dizeres:

“Here Men From Planet Earth First Set Foot Upon The Moon. July 1969 A.D. We Came In Peace For All Mankind”. (Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua. Julho de 1969. Viemos em paz, em nome de toda a Humanidade).

Em 24 de julho os três retornam à Terra em uma cápsula de 3 metros de diâmetro, caindo no Oceano Pacífico e recepcionada por uma frota americana. Diante das incertezas sobre as condições lunares, Armstrong, Aldrin e Collins foram mantidos em um container e submetidos a diversos exames, a fim de verificar contaminações e o estado de saúde de ambos durante 17 dias. A partir de sua liberação em 13 de agosto de 1969, participaram de diversas homenagens e atividades cívicas, sendo ovacionados como heróis. 
Desde a Apolo 11, mais 5 missões tripuladas pousaram em solo lunar, e mais 12 astronautas realizaram experimentos científicos e análises em sua superfície. A exploração lunar com o projeto Apollo findou com a Apollo XVII em 1972 devido ao corte de verbas e desinteresse da população, mas o módulo ainda foi utilizado até  1975 para outras missões, sendo substituído pelos Ônibus Espaciais em 1981.

Resgate da cápsula no pacífico.

Os mais céticos acreditam que tudo não passou de um teatro, com o objetivo de resgatar a supremacia norte americana. Uma rápida pesquisa na Internet e temos diversas “evidências” de que o homem não pisou na Lua, mas o fato é que existem equipamentos humanos lá e que, apenas alguns anos mais tarde, lançamos sondas para os confins do Sistema Solar, as quais enfrentaram desafios muito mais árduos e que sem experiência e conhecimento de causa, jamais chegariam tão longe!


Para saber mais:




REFERÊNCIAS

http://www.hq.nasa.gov/office/pao/History/apollo.html

MOURÃO, Ronaldo R. de F. O Livro de Ouro do Universo. Editora: Ediouro. São Paulo: 2012.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário