quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Qual combustível uso hoje?

Por Rafael Vitorino de Oliveira

Se você pudesse proteger a atmosfera contra a poluição apenas fazendo a escolha correta do combustível de seu carro, mesmo este apresentando um custo maior, você o faria?

Partindo dessa ideia, vamos conhecer melhor os combustíveis mais comuns o Etanol e a Gasolina.

ETANOL


Produzido através da fermentação de amido e de outros açúcares o etanol, também chamado de álcool etílico, é um biocombustível altamente inflamável e incolor, sendo muito utilizado em automóveis. Essa substância é renovável, pois sua fonte é obtida através de plantas cultivadas pelo homem.

O etanol pode ser obtido através da cana-de-açúcar, milho, beterraba, mandioca, batata, etc. A matéria-prima é submetida a uma fermentação alcoólica, com atuação do micro-organismo Sacchromyces cerevisiae e, no Brasil, é mais comum o uso da cana-de-açúcar, pois apresenta maior produtividade. Após processado, o etanol pode ser utilizado como combustível em sua forma pura (em motores adaptados) ou misturado com gasolina.

O Brasil se destaca no cenário global como sendo o país com tecnologia mais avançada na fabricação de etanol. A produção mundial desse combustível é da ordem de 40 bilhões de litros, dos quais 15 bilhões correspondem ao Brasil. Para cada tonelada de cana-de-açúcar são produzidos 66 litros de álcool e 700 a 800 litros de vinhaça ou restilo.

Visando a autonomia energética, o Brasil desenvolveu o Programa Nacional do Álcool (Proálcool) em 1975, permitindo, em um primeiro momento, a mistura do etanol à gasolina consumida no país e, anos mais tarde, o uso total do etanol como combustível. E, de fato, em 1979 surgiu o carro a álcool brasileiro, dando origem a um parque produtor com grande capacidade.

A mistura do etanol anidro à gasolina, hoje utilizado na proporção de 25%, contribui significativamente na redução de poluentes, como o ozônio nos centros urbanos.

Numa tentativa de reduzir a utilização do petróleo, o etanol surge como uma alternativa eficiente, limpa (emite menos gases poluentes) e mais barata. Porém, seu uso sem o devido planejamento pode gerar uma série de transtornos socioeconômicos: aumentos dos latifúndios monocultores de cana-de-açúcar, elevação dos valores de alguns gêneros alimentícios, esgotamento do solo, erosão, etc.

Os veículos que circularem pelo Brasil a partir do primeiro trimestre de 2014 vão poder usar um novo combustível. A notícia vem de uma multinacional com sede em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná. A primeira usina a começar a produzir o etanol de segunda geração em larga escala é do estado de Alagoas, no nordeste do país. Outras quatro empresas já anunciaram publicamente que devem produzir o combustível a partir do ano que vem.

O gerente conta que, na safra 2012/2013, a produção de álcool comum no país foi de 22 bilhões de litros. "A vantagem é que o produtor não vai precisar aumentar a área de plantação e vai utilizar apenas os resíduos que sobram na usina", esclarece. Rasmussen complementa que o custo logístico será mínimo com um incremento de 30% no resultado da produção da usina.

Com a economia, é esperado também o benefício para o consumidor. Blandy conta que o custo de produção será de 10% a 15% mais barato do que o etanol de primeira geração, o que deve refletir no preço final do novo combustível.

Algumas vantagens do uso do etanol para o meio ambiente:

  • Substitui aditivos com metais pesados(como o chumbo e o manganês) e MTBE;
  • Não contém enxofre (menores emissões de óxidos de enxofre e sulfatos);
  • Não inibe uso de conversores catalíticos;
  • Tem estrutura molecular simples e emissão desprezível de partículas;
  • Reduz emissão de monóxido de carbono e hidrocarbonetos;
  • Produz hidrocarbonetos com menor toxidez e reatividade fotoquímica.



GASOLINA


A gasolina é o derivado de petróleo mais popular em nosso país e o seu consumo tem aumentado significativamente nos últimos anos. É um combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos e, em menor quantidade, por produtos oxigenados. Esses hidrocarbonetos são, em geral, mais "leves" do que aqueles que compõem o óleo diesel, pois são formados por moléculas de menor cadeia carbônica (normalmente de 4 a 12 átomos de carbono). Além dos hidrocarbonetos e dos oxigenados, a gasolina também pode conter compostos de enxofre e compostos de nitrogênio. A faixa de destilação da gasolina automotiva varia de 30 a 220 °C.



Os tipos de gasolina são oferecidos de acordo com as principais características de projeto dos motores, em função da taxa de compressão do motor e outras variáveis que afetam a temperatura e pressão dentro do motor e do tipo de sistema de injeção do combustível.

A escolha do tipo de combustível mais adequado para cada veículo deve ser feita de acordo com a orientação do fabricante, através de consultas ao manual do proprietário ou ao serviço de atendimento ao cliente, nos casos em que estas informações não estejam claras. Alguns fabricantes, principalmente de veículos importados, informam o valor da octanagem (RON), cabendo ao usuário a escolha do tipo de gasolina mais adequado dentre as opções disponíveis no país.

A gasolina básica (sem oxigenados) possui uma composição complexa. A sua formulação pode demandar a utilização de diversas correntes nobres oriundas do processamento do petróleo como nafta DD (produto obtido a partir da destilação direta do petróleo), nafta craqueada que é obtida a partir da quebra de moléculas de hidrocarbonetos mais pesados (gasóleos), nafta reformada (obtida de um processo que aumenta a quantidade de substâncias aromáticas) e nafta de coque, obtida através do processo de coqueamento, nafta alquilada (de um processo que produz iso-parafinas de alta octanagem a partir de iso-butanos e olefinas), etc.

A gasolina é classifica de acordo com seu Índice de Octano, mas do que se trata este índice? Do número de octanos (C8H18) presentes em sua composição, que iremos representar pela sigla NO. Quanto maior esse parâmetro, maior será a resistência do combustível à explosão espontânea. Abaixo, seguem alguns tripos de gasolina:


  1. Gasolina amarela: tipo A, NO = 73; 
  2. Gasolina azul: é a do tipo B com NO = 82; 
  3. Mistura de gasolina e álcool: se encontra entre as gasolinas adulteradas e possui NO = 76. Ela se classifica como Gasolina do tipo C.
  4. Gasolina verde: este combustível somente é utilizado em aeronaves. NO = 110 – 130.

EMISSÃO DE CO2 DE UM CARRO:

GASOLINA ETANOL
Litros / kg CO2 0,8 0,82
Carro / kg CO2/ Ano 1529,786 1905,488
Share:

Um comentário:

  1. Prezados, não entendi... quando falaram de etanol pareceu ser menos poluente, mas no comparativo com a gasolina, no final na postagem, aparece que emite mais CO2. Afinal, qual a melhor escolha?

    ResponderExcluir