segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Região Metropolitana de Curitiba - Movimentos pendulares: o vai e vem de pessoas!

Por Rafael Briones Matheus

O vai e vem diário das pessoas nas regiões metropolitanas de suas casas para o trabalho e vice-versa  é um tipo de movimento migratório exercido constantemente por milhares de brasileiros. Caracteriza-se pelo deslocamento de pessoas que viajam da cidade que residem para outra onde trabalham ou estudam, geralmente um grande centro urbano. A lotação dos meios de transporte coletivo intermunicipais e os congestionamentos das vias urbanas no início da manhã e no fim do dia são consequências evidentes desse movimento. Entretanto, há diversos tipos de movimentos pendulares. Por exemplo, no campo o movimento pendular é o realizado pelos trabalhadores rurais, conhecidos popularmente como boias-frias, os quais se deslocam no início da manhã da cidade em que moram para o campo, de onde retornam para suas casas, na cidade ao final do dia. Mas existem também fluxos migratórios pendulares não diários, realizados constantemente por trabalhadores, como por exemplo, políticos, executivos, petroleiros, médicos, professores e etc.

Nos últimos anos houve um acelerado crescimento das regiões metropolitanas brasileiras e segundo o Censo 2010, as regiões metropolitanas mais populosas no Brasil são respectivamente: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Fortaleza, Salvador, Curitiba e Campinas. Acompanhando o panorama nacional, a Região Metropolitana de Curitiba possuí um intenso movimento de trabalhadores que migram dos municípios do entorno para a capital, como pode ser visto nas figuras 1 e 2. De acordo com  a figura 1, os municípios com o maior número de pessoas se deslocando para Curitiba seriam Colombo e São José dos Pinhais. Já na figura 2 podemos perceber que o maior fluxo de pessoas que saem de Curitiba têm como destino São José dos Pinhais, seguido de Araucária e Pinhais. Tais informações são extremamente relevantes para o planejamento urbano, principalmente no que diz respeito ao transporte público destes municípios. O mercado imobiliário também se utiliza destes dados para executar ações através de empreendimentos imobiliários, construção de edifícios, condomínios, casas comerciais e etc.

Figura 1.

Figura 2.
REFERÊNCIAS

www.ibge.gov.br

www.observatoriodasmetropoles.net
Share:

0 comentários:

Postar um comentário