terça-feira, 15 de abril de 2014

O QUE É O FENÔMENO EL NIÑO?

Por: Rafael Briones Matheus


Figura 01: Imagem do fenômeno El Niño. Fonte: INPE

O termo El Niño é advindo da língua espanhola e refere-se ao aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacifico. Esta denominação foi dada por pescadores peruanos e equatorianos, pelo fato de tal evento ocorrer próximo ao período natalino sendo, portanto, uma referência ao menino Jesus. Trata-se de um fenômeno oceano atmosférico que afeta o clima regional e global e influencia circulação atmosférica, alterando os regimes de chuvas em regiões tropicais, podendo acarretar uma série de problemas ambientais.
É comum no início do ano, entre os meios de comunicação, a divulgação da seguinte pergunta, este ano ocorrerá El niño ou La niña?. Devemos lembrar que La Niña também é conhecido como Anti-El Niño, e seu mecanismo se dá basicamente pelo processo inverso, com o resfriamento atípico das águas do Pacifico. Este fenômeno também desempenha considerável impacto nas atividades humanas (MENDONÇA, 2007).


COMO FUNCIONA O FENÔMENO EL NIÑO?

Em anos normais, sem a presença do El Niño e La Niña, as águas do Oceano Pacífico na região equatorial oeste são mais aquecidas em relação a costa oeste da América do Sul, onde as águas do Pacífico são mais frias.

Figura 02 - Animação das condições normais. Fonte: INPE 
O fluxo das águas quentes só recebe o nome de El Niño quando a variação térmica atinge de 1°C até 6°C, acima da média térmica que é de 23°C. 

Figura 03 - Animação do El Niño. Fonte: INPE

O aquecimento das águas oceânicas podem ocasionar consequências no tempo e no clima em todo planeta. Entretanto, há mudanças também na atmosfera próxima a superfície oceânica, enfraquecendo os regimes dos ventos alísios. O aquecimento anormal do oceano pacífico somado ao enfraquecimento dos ventos possibilitam a mudança da circulação atmosférica, influenciando no transporte de umidade e na distribuição de chuvas em regiões tropicais e extratropical. Na interação entre águas oceânicas e atmosfera há uma troca de energia e umidade que determinam o comportamento do clima, e as mudanças neste processo podem afetar o clima regional e global.


EFEITOS DO EL NIÑO NO BRASIL

  • Região Norte: Secas no norte e leste da Amazônia, o que provoca o aumento da ocorrência de incêndios florestais.
  • Região Nordeste: Secas de diversas intensidades na região norte do nordeste.
  • Região Sudeste: Aumento das temperaturas médias, principalmente no inverno e no verão.
  • Região Centro-Oeste: Chuvas acima da média climatológica e temperaturas mais altas no sul do Mato Grosso do Sul.
  • Região Sul: Precipitações acima da média, principalmente no equinócio de primavera. Há o aumento da temperatura média, e as frentes frias que atingem esta região tendem ficar estacionadas por vários dias, provocando chuvas constantes.



PARA SABER MAIS:

Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE):

http://www6.cptec.inpe.br/enos/index_.shtml#

http://videoseducacionais.cptec.inpe.br/swf/elnino_lanina/5/


REFERÊNCIAS:

Mendonça, Francisco. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. 1° Edição, São Paulo, Oficina de Textos, 2007.

CPTEC. El Niño e La Niña. Disponível em: <http://www6.cptec.inpe.br/enos/index_.shtml#>. Acesso em: Fev. 2014.

CPTEC. El Niño e La Niña. Disponível em:<http://enos.cptec.inpe.br/>. Acesso em: Fev. 2014.






Share:

0 comentários:

Postar um comentário