segunda-feira, 28 de abril de 2014

RESENHA DO LIVRO: "Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente"!

Por Lawrence Mayer Malanski

A tradução do livro de Yi-Fu Tuan “Topofilia: Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente” publicada em 1980 pela professora da UNESP – Rio Claro Lívia de Oliveira é um marco da Geografia Humanista no Brasil. Até então, a Geografia brasileira era pensada, sobretudo, a partir de duas correntes geográficas distintas: a Geografia Crítica com apelo marxista e a Geografia teorética quantitativa com aporte neopositivista.

Nesse contexto, a clássica obra do geógrafo sino-americano, publicada originalmente em 1974 nos Estados Unidos, apresenta uma forma alternativa para os estudos geográficos que valoriza a relação entre pessoas e o espaço, perpassando pela percepção e representação espacial, as culturas e as relações sociais. Desse modo, o estudo de Tuan aparenta se opor aos aspectos essencialmente  econômicos e sociais da Geografia Crítica e ao cogito racionalista e aritmético da Geografia teorética quantitativa em favorecimento de aspectos subjetivos e pessoais.

A leitura de Topofilia instiga-nos a avaliar e questionar o modo como percebemos, nos situamos, significamos e idealizamos o mundo que habitamos, enfim, quais são nossos valores ambientais.  A obra é dividida em quinze capítulos nos quais Tuan aborda um amplo quadro de assuntos. O autor parte das relações biológicas existentes entre os órgãos sensoriais e os gêneros das pessoas e os espaços para, em seguida, destacar a influência fundamental das culturas sobre as percepções. Assim, compreende-se que apesar de dotados de órgão sensoriais comuns, pessoas têm noções de mundo diferentes de acordo com a cultura na qual estão inseridas. No entanto, a criação de mundos individuais transcende a cultura, pois considera aspectos subjetivos pessoais como a experiência espacial.

Topofilia, o termo chave que dá título ao livro, é um neologismo definido por Tuan como “todos os laços afetivos dos seres humanos com o meio ambiente material” (TUAN, 1980, p. 107). A topofilia pode assumir assim muitas formas, variando em amplitude emocional e intensidade. Podem ser considerados exemplos topofílicos distintos a apreciação estética do meio através do turismo, o contato físico com o meio ambiente do pequeno agricultor, o patriotismo e a relação emocional da pessoa com seu lar e seus pertences. Nota-se então, que o termo topofilia associa sentimentos com meio ambiente e, ao fazer isso, promove a ideia de lugar. Contudo, “o meio ambiente pode não ser a causa direta da topofilia, mas fornece o estímulo sensorial que, ao agir como imagem percebida, dá forma às nossas alegrias e ideais” (TUAN, 1980, p. 129).

Após explanar a respeito da percepção e cultura, Tuan analisa a relação das diferentes culturas com os espaços urbanos e o simbolismo envolvido nisso. O autor não enfatiza apenas as cidades e culturas ocidentais, mas também chinesas. Destaca-se nesse trecho da obra que estilos de vida distintos geram padrões espaciais diferentes e que a maneira como as pessoas respondem ao ambiente urbano depende de fatores diversos. Para os transeuntes os meios de transporte são importantes e até mesmo a hora do dia em que as ruas da cidade são usadas afeta a percepção e a avaliação das mesmas. Nas palavras do autor “A imagem urbana é uma para o executivo pendular e outra bem diferente para a criança sentada na escada de entrada de um bairro pobre ou para o vagabundo que dispõe de tempo, mas de quase mais nada.” (TUAN, 1980, p. 259). 

Ao se referir à cidade de Brasília, Tuan considera-a um esboço de cidade idealizada que representa o Ego coletivo do país. Uma cidade com base religiosa e simbolismo cósmico que marca simbolicamente e politicamente a domesticação do “selvagem” e da valorização do potencial agrícola do interior do Brasil. 
Por fim, pode-se afirmar que a leitura de Topofilia proporciona novas perspectivas para os estudos da relação entre pessoas e o meio ambiente, o que pode ser ampliada através da leitura de outras obras de Tuan, como “Espaço e Lugar” (1983) e “Paisagens do Medo” (2006). Muitos dos conceitos abordados no livro referem-se à emoção com que as pessoas se relacionam com o meio ambiente, fazendo deste um lugar. 

REFERÊNCIAS: 

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

Para saber mais
O que é lugar? http://parquedaciencia.blogspot.com.br/2013/09/o-que-e-lugar.html

Share:

0 comentários:

Postar um comentário