quarta-feira, 2 de abril de 2014

VÍRUS: QUEM SÃO ESTES AGENTES INFECCIOSOS MICROSCÓPICOS?

Por: Rafael Vitorino De Oliveira

   Figura 1 : Vírus. Fonte:  iguatemionline.blogspot.com.br
Quando pensamos em vírus, já sentimos medo ou receio de nos contaminarmos com uma possível nova doença viral. Devemos lembrar que os vírus fazem parte de nossa vida, e que agora nosso corpo deve estar abrigando milhares deles. Mas, por “sorte”, temos o que chamamos de Sistema Imunológico, que neutraliza grande parte destes agentes infecciosos. 

Porém, o quão perigosos são os vírus? Basta sabermos, ou lembrarmos (para os mais velhos), que estes “seres” já mataram mais do que a 1° Guerra Mundial – 1914 a 1917 – onde cerca de 6 milhões de soldados e civis morreram. Estes números são expressivos, mas insignificantes perto da quantidade de vidas ceifadas por apenas dois vírus – o influenza (responsável pela famosa gripe espanhola) e o virus causador da SIDA (também conhecida como AIDS). Apenas estes dois vírus mataram mais de 42 milhões de pessoas (20 milhões na gripe espanhola entre 1918 e 1919, e mais de 22 milhões pela SIDA entre 1981 ate o presente atual). Lembre-se que devemos considerar que nenhuma pessoa ate hoje morreu pelo vírus da SIDA, mas em consequência de doenças chamadas de oportunistas.

E como podemos nos defender de seres que não podemos ver? O que fazer para não sermos contaminados? E o que fazer se formos contaminados? Regras básicas podem nos ajudar nessa defesa desigual, no quesito não sermos contaminados, e são elas: higiene pessoal, alimentação adequada, o não uso de drogas (principalmente as injetáveis, pois através do compartilhamento de seringas podemos ser contaminados), e a prevenção na hora de ter relações sexuais, usando principalmente camisinha, alem de não trocar exaustivamente de parceiros sexuais.

Mas, se formos contaminados, devemos contar com a boa e velha medicina, que já sabe como tratar, ou lidar com a maioria dos vírus existentes. Entretanto, alguns deles como o da SIDA e da raiva não tem cura, sendo assim, os cuidado quanto a estes vírus devem ser maiores.

Mas o que é um vírus?

Os vírus são organismos biológicos intracelulares obrigatórios, com um grande poder de multiplicação. Reproduzem-se utilizando o maquinário celular de seu hospedeiro – as células – apresentando assim características de um ser vivo segundo alguns biólogos. Fora de uma célula, no ar, por exemplo, o vírus encontra-se na forma inerte ou inativo, ou seja, não realizando atividade alguma, podendo ate transformar-se em um cristal, em alguns casos.

Logo após infectar uma célula o vírus da inicio ao seu processo de replicação, utilizando, como já citado acima, o maquinário celular de seu hospedeiro (núcleo, ribossomos, complexo de golgi, retículo endoplasmático liso e rugoso, etc...), tomando assim o controle total da célula, e levando a mesma a morte após a lise (quebra da membrana plasmática para liberação dos vírus) desta. Este rompimento da membrana plasmática do hospedeiro libera centenas de novos vírus que foram montados pela própria célula, e estes agora estão livres para infectar novos hospedeiros, retomando assim seu ciclo de infecção. Para entendermos melhor isso imagine um jogo de seu videogame como sendo o vírus, e o vídeo game uma célula qualquer do nosso corpo. O seu jogo (vírus) sem o videogame nada pode fazer, mas assim que você o coloca no videogame (célula) ele passa a desenvolver suas atividades. 

Mas, você já deve ter notado que boa parte das doenças virais que contraímos, com o passar de alguns dias “vão embora”. Imagine algo assim: Crie um vírus que cause uma doença na pele, como o aparecimento de espinhas e manchas avermelhadas. Coloque um nome nele, aquele que você achar mais legal, como: V.E.M.V (Vírus das Espinhas e Manchas Vermelhas). Se uma pessoal qualquer for infectada por este vírus, ela começara a apresentar os sintomas desta doença. E agora, o que fazer? Você inventou o vírus, mas não a vacina!

Este indivíduo que foi infectado com o vírus apresentará os sintomas da doença por aproximadamente 7 dias, e logo após esse período estes aos poucos desaparecerão, mesmo o individuo não tendo ingerido nenhum tipo de medicação. Isso só é possível graças ao nosso Sistema Imunológico, que e o sistema de defesa que nos protege desses “amigos” indesejáveis, também chamados de antígenos (antígeno é qualquer substância estranha presente em nosso corpo, portanto o vírus é um bom exemplo disso.).

Este sistema imunológico depende de vários fatores para obter sucesso em sua missão de neutralizar estes agentes infecciosos. Um principal, e que ele deve reconhecer este corpo estranho ao organismo, e assim criar formas de aniquilar o mesmo. Outros fatores são: idade, alimentação, peso e condição emocional. 

Quanto à idade, alimentação e peso, vocês devem achar normal, mas o item condição emocional também afeta e muito o funcionamento de nosso sistema imunológico. De maneira geral, se estivermos deprimidos ou preocupados com alguma coisa que não esta dando certo, nosso sistema de defesa acaba ficando mais frágil o que pode facilitar a proliferação de vírus.

Então quando se trata de vírus, todas as armas são imprescindíveis para esta batalha: boa alimentação, exercícios, peso controlado, prevenção, felicidade e higiene pessoal. Quando tudo isto esta equilibrado, nosso corpo consegue lidar sem grandes problemas com estes “agentes invisíveis”.

Curiosidades sobre os vírus:

Doenças causadas por vírus mais famosas: dengue, febre amarela, catapora, caxumba, hepatite, varíola, sarampo, herpes, sífilis, poliomielite, AIDS, resfriado e gripe.

Hoje conhecemos mais de 3.600 sps. de vírus, mas os cientistas acham que pode existir muito mais;

Os vírus mais facilmente transmissíveis são pouco letais.

Os vírus infectam animais e plantas. Algumas espécies infectam bactérias. Esse tipo de vírus é chamado de bacteriófago.

Vírus como o da hepatite permanecem no organismo humano ate sua morte, por isso pessoas com este vírus em seu organismo não podem doar sangue.

Acredite se quiser: nem todos os vírus são patogênicos. Alguns até beneficiam o organismo, como os vírus presentes no intestino. Como infectam bactérias presentes nessa parte do corpo, eles ajudam a evitar diarreias e gastroenterites (inflamação simultânea do estômago e dos intestinos).

Os cientistas acreditam que os vírus da gripe já existiam antes da própria humanidade, mas que passaram a conseguir novos hospedeiros e novas mutações com a criação de animais e com o surgimento dos primeiros aglomerados urbanos.

Existem três tipos de vírus da gripe circulando pelo mundo, sendo o mais comum o do tipo A (como o da gripe suína). De 300 a 900 milhões de pessoas ficam gripadas por ano em todo o planeta.

A dengue, afeta 50 milhões de pessoas por ano no mundo, sendo transmitida pelo mesmo mosquito da febre amarela: o Aedes Egypt.

Algumas prostitutas no Zimbábue são alvo de estudo dos cientistas, pois são completamente imunes ao vírus da SIDA.


REFERÊNCIAS


CAMPBELL, N.; REECE, J. B.; Biologia. Tradução por Anne D. Villela… [et al.]. – 8. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2010.

Site de Resenhas Educativas: Acesso em: 2014. Disponível em: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/biovirus.php

Site de Resenhas Educativas: Acesso em: 2014. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/28535/biologia-celular-virus

Site de Resenhas Educativas: Acesso em: 2014. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/especial/1357_biologia_aids/page2.shtml

Share:

0 comentários:

Postar um comentário