sexta-feira, 25 de julho de 2014

Etnoastronomia


Por: Ana Caroline Pscheidt

A observação do céu é uma prática humana muito antiga, sendo registrada por diversos povos. A curiosidade sobre os mistérios do céu, fez com que o homem o observasse continuamente e, com o passar do tempo, a humanidade foi conhecendo o céu e desvendando alguns de seus mistérios. Foi aos poucos entendendo a periodicidade do movimento dos astros, podendo, por exemplo, se orientar geograficamente, prever estações do ano, utilizar o céu para marcar o tempo, construir seus calendários e relógios. O céu passa a ser uma ferramenta cotidiana que facilita muito a vida do homem.

Durante esse observar o homem desenhou no céu, utilizando estrelas e manchas visíveis. Hoje chamamos esses desenhos de constelações, e cada cultura ou sociedade diferente representaram no céu seus próprios desenhos. Esses desenhos representam mitos, personagens e história próprias de cada cultura especifica, estão intimamente ligados com a construção social de cada sociedade. A localização no planeta também interfere na criação das constelações pois o céu visível depende de onde se olha, por exemplo: o cruzeiro do sul é facilmente visível para povos do sul do planeta, mas não é visível para povos do extremo norte, logo, seria impossível que os povos nórdicos, por exemplo, criassem uma constelação utilizando essas estrelas, já os índios aqui no Brasil  utilizaram algumas das estrelas dessa região para compor sua constelação chamada Ema. 

Nas imagens abaixo podemos perceber as diferenças no céu causada pela localização do observador, sendo que ambas mostram o céu do dia 25/08/1500 às 21 horas. Na Figura 01 temos o céu visto por um observador em Curitiba-PR, no Brasil. Na Figura 02 temos o céu do mesmo dia e horário, mas agora visto da Groelândia. 
Obs: clique na imagem para ver maior!

Figura 01 – Céu de Curitiba dia 25/08/1500 às 21 horas.
 Fonte:  Software Stellarium

Figura 02 – Céu da Groelandia dia 25/08/1500 às 21 horas.
Fonte:  Software Stellarium
 
Perceba que não são as mesmas estrelas que aparecem nas duas imagens, apenas algumas são comuns aos dois observadores mas suas posições são diferente. Portanto é natural povos de locais diferentes do planeta criem constelações bem distintas. 

O estudo das constelações e do uso do céu por diferentes culturas recebe o nome de Etnoastronomia. Esta ciência estuda intimamente o conhecimento sobre o céu das diversas civilizações que surgiram durante a história da humanidade. Também nos faz perceber a diversidade e pluralidade cultural de cada sociedade, mostrando a importância de reconhecer a contribuição cultural e cientifica de cada um dos povos do planeta, e principalmente de proteger essa bagagem cultural e respeitar as diferenças. 

Para entender um pouco mais sobre esta ciência, você pode conhecer o trabalho do professor Dr. Germano Bruno Afonso. Trata-se de  um resgate etnoastronômico bastante rico sobre a cultura astronômica indígena no Brasil, onde se pode conhecer as suas constelações, histórias e mitos assim como os métodos utilizados pelos índios para se localizar geograficamente e no tempo.

Para SABER MAIS 

Existem muitos trabalhos publicados sobre etnoastronomia, abaixo seguem alguns links para saber mais sobre o assunto.

Etnoastronomia dos Índios Guarani na Região da Grande Dourados/Ms  http://www.neppi.org/anais/Ciencias%20da%20terra/ETNOASTRONOMIA%20DOS%20%CDNDIOS%20GUARANI%20NA%20REGI%C3O%20DA%20GRANDE%20DOURADOS%20MS.pdf

A etnoastronomia dos africanos trazidos como escravos para o Brasil se misturou com a dos nativos do nosso país constituindo novas formas de saber
http://www.mat.uc.pt/mpt2013/files/brasil_outros_GA.pdf

Astronomia Indígena
http://www.sbpcnet.org.br/livro/61ra/conferencias/CO_GermanoAfonso.pdf

Etnoastronomia no Brasil: a contribuição de Charles Frederick Hartt e José Vieira Couto de Magalhães
 http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-81222010000200007

REFERÊNCIAS

Etnoastronomia no Brasil: a contribuição de Charles Frederick Hartt e José Vieira Couto de Magalhães, Revista de divulgação de artigos científicos acesso em 2014, disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-81222010000200007

Kássia Ribeiro Vera, Paulo Souza da Silva, Dr. Germano Bruno Afonso, Etnoastronomia dos Índios Guarani na Região da Grande Dourados. Disponivel em: http://www.neppi.org/anais/Ciencias%20da%20terra/ETNOASTRONOMIA%20DOS%20%CDNDIOS%20GUARANI%20NA%20REGI%C3O%20DA%20GRANDE%20DOURADOS%20MS.pdf

Share:

0 comentários:

Postar um comentário