quinta-feira, 7 de agosto de 2014

O MINISTÉRIO DA MATEMÁTICA ADVERTE: ERROS DE CÁLCULO PODEM CAUSAR GRANDES PROBLEMAS

Por Ednilson Rotini 

Figura 01: Erro de Cálculo na Construção 
Fonte: Arquitêta - Arquitetura e Design
Quem de nós nunca foi mal numa prova de Matemática, devido a alguns erros durante a resolução de questões, onde a falha foi na regra de sinal ou na tabuada ou, ainda, na interpretação dos dados do enunciado? Às vezes começamos bem a resolução, mas, por um pequeno descuido, chegamos a um resultado equivocado.
Numa escala um pouco maior, muitos são os candidatos que perdem uma vaga num vestibular ou num concurso, por causa de erros matemáticos que levam a resultados errôneos em provas de Matemática, Física e Química. E, em muitos casos, esses erros são até previstos pelos elaboradores de questões que acabam colocando essas respostas erradas como opções de escolha nas alternativas. Mas ainda assim, as consequências são mínimas se comparadas com as consequências de erros matemáticos associados a grandes construções e projetos de engenharia.
Neste texto, apresentaremos três situações indesejadas ocasionadas por causa de erros de cálculo.


O avião de janelas quadradas

Figura 02: Avião Havilland Comet de 1952 com janelas quadradas
Fonte: Airliners.net
Em 1952, começou a operar o primeiro avião comercial a jato, de fabricação inglesa, chamado de Havilland Comet, ou simplesmente, Comet. Esse avião possuía 4 turbinas o que proporcionava uma espantosa velocidade de 725 km/h, mais do que o dobro que se tinha nessa época. A essa velocidade, o avião precisava voar a altas altitudes para evitar grandes turbulências e, por consequência, o interior devia estar pressurizado. O que parecia ser um avanço tecnológico, logo se tornaria numa máquina de tragédias, pois em menos de dois anos, cinco acidentes aéreos com esse modelo de avião ocorreram no mundo. Ao analisar as possíveis causas desses acidentes descobriu-se que um dos principais problemas estava no formato das janelas dos Comet. Elas eram quadradas, o que ocasionava pontos de tensão nas extremidades. Assim, qualquer rachadura ocasionava total desintegração do avião em pleno vôo. A partir dessa descoberta, em todos os modelos de aviões são utilizadas janelas com cantos arredondados para eliminar pontos de tensão e evitar danos na fuselagem do avião.

Figura 03: Avião com janelas arredondadas
Fonte: Mecânico de Aeronaves

O “inafundável” navio Titanic

Figura 04: Navio Titanic
Fonte: Forbes
Em relação ao naufrágio do famoso navio Titanic, muitas são as teorias, sendo que as mais divulgadas são as falhas na segurança, o despreparo da tripulação e, é claro, o azar de bater num iceberg. Entretanto, após estudos, alguns cientistas apontam que um erro de cálculo na construção deste grande navio pode ter sido a grande causa de seu naufrágio. Eles explicam que a embarcação era composta por três hélices a vapor, sendo que as duas externas eram impulsionadas por motores de pistão e a hélice central era acionada por uma turbina a vapor. Na época sabia-se que as hélices movidas a vapor eram mais dinâmicas, embora girassem em apenas uma direção. Aconteceu que, de acordo com relatos, o primeiro oficial do Titanic, quando avistou o iceberg ordenou que toda a força das hélices fosse colocada da direção oposta, mas uma delas continuou girando na mesma direção, embora com menor velocidade. Assim, o cálculo da velocidade associado ao erro de projeto da embarcação ocasionou a batida do navio no iceberg, o naufrágio e a morte de mais de 1.500 pessoas.

Figura 05: Sistema de Hélices do Titanic
Fonte: Techdon

Os trens que são largos demais

Figura 06: Novos Trens da Companhia Ferroviária Francesa
Fonte: Viver Paris
Recentemente, uma grande polêmica tomou conta no setor de transporte da França. A empresa estatal de transporte ferroviário francesa SNCF encomendou 341 novos trens, o que corresponde a 2 mil vagões, com uma largura de 20 centímetros maior do que a grande maioria das estações. O problema é que essa compra custou 15 bilhões de euros para os cofres públicos e o tamanho equivocado dos trens só foi percebido quando os mesmos já estavam prontos. De acordo com os noticiários franceses, a causa dessa confusão é que a empresa estatal responsável pela infraestrutura ferroviária, a RFF, informou à SNCF apenas o tamanho das estações mais novas, aquelas com 30 anos de uso e que são realmente mais largas. Faltou informar o tamanho das outras 1500 estações mais antigas e mais estreitas. Agora, a melhor saída será reformar as estações mais antigas e isso, de acordo com os orçamentos, custará pelo menos 50 milhões de euros. Nessa confusão de informações, o parlamento francês pediu a demissão dos presidentes da RFF e da SNCF. 


REFERÊNCIAS

Site de nóticias BBC. Acesso em: 2014. Disponível em:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/05/140530_erros_ciencia_engenharia_rb.shtml

Site Techmundo. Acesso em 2014. 
Disponível em: http://www.tecmundo.com.br/selecao/17963-5-erros-matematicos-fatais.htm

Site Mecânica de Aeronaves. Acesso em 2014. 
Disponível em: http://www.mecanicodeaeronaves.com/blogfadiga.html

Site Naufrágios. Acesso em 2014. 
Disponível em: http://www.naufragios.com.br/titanic.htm

Share:

0 comentários:

Postar um comentário