terça-feira, 11 de novembro de 2014

DINOSSAUROS: SENHORES DO MESOZÓICO! ESPÉCIE DO MÊS: Figura 01 – Unaysaurus tolentinoi. Fonte: http://www.faperj.br/images/Dinos/Unaysaurus_tolentinoi_figura_umida1.jpgUNAYSAURUS


Por: Marcelo Domingos Leal

Figura 01 – Unaysaurus tolentinoi.
Fonte: http://www.faperj.br

O Unaysaurus tolentinoi tem seu nome derivado da cultura indígena tupi, além de uma homenagem ao seu descobridor. Unaysaurus segundo a língua tupi significa “água negra”, grande sítio paleontológico na região central do estado do Rio Grande do Sul. O nome tolentinoi é uma homenagem ao seu descobridor, Tolentino Flores Malafiga.

Esta espécie foi descoberta em 1998, no sítio paleontológico de Água-Negra, na região central do Rio Grande do Sul, pelo aposentado Tolentino Marafiga. Podemos dizer que esta nova espécie foi descoberta após um belo tropeço do aposentado. Isso mesmo, segundo o Sr. Tolentino, ao caminhar por um percurso entre São Martinho da Serra e Santa Maria, o aposentado tropeçou em algo que lhe chamou a atenção, alguma “rochas de cor amarronzada”, segundo o Sr. Tolentino. Pressentindo a importância do achado, Tolentino –  que acabou emprestando seu nome ao batismo da nova espécie – contatou imediatamente pesquisadores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), que logo chegaram ao local. “Ao chegar à localidade, constatamos que se tratava provavelmente da carcaça de um animal que morreu numa planície de inundação ou próximo a um canal, e que terminou soterrado”, explicou o pesquisador Átila da Rosa.

Seus fragmentos pertencem ao que denominamos hoje de Bacia do Paraná, em uma formação intitulada Caturrita. O material original encontra-se depositado no acervo técnico da Universidade Federal de Santa Maria, na cidade de nome homônimo, no Estado do Rio Grande do Sul. Uma réplica em tamanho natural pode ser observada no Museu Nacional do Rio de Janeiro. A descrição científica desta nova espécie ficou a cargo de uma equipe mista de pesquisadores da UFSM e UFRJ, composta por Sérgio Alex K. Azevedo, Átila A. S. da Rosa e Alexander W. A. Kellner e Luciano Leal. Este estudo foi publicado na revista Zootaxa, da Nova Zelândia.

Esta espécie contou com ossos do crânio, vértebras cervicais, lombares e caudais, algumas costelas, patas dianteiras completas e fragmentos das patas traseiras para sua identificação. A grande quantidade de material encontrada coloca o Unaysaurus como um dos espécimes mais completos já encontrados em território brasileiro. Como todos os outros dinossauros, o Unaysaurus viveu na Era Mesozóica, mas em um período chamado de Triássico inferior, a cerca de 225 milhões de anos atrás.

O Unaysaurus pertencia a uma classe de dinossauros denominada Prossaurópodes, antepassados dos Saurópodes (os famosos dinossauros pescoçudos), e parentes próximos dos Terápodes. Os Prossaurópodes já possuíam características dos seus descendentes, como pescoço alongado, cabeça pequena, corpo volumoso e cauda longa, além da garra no polegar das patas dianteiras. Era uma espécie de porte pequeno, se comparado com outros Prossaurópodes, com cerca de 2,5 m de comprimento, por até 70 cm de altura, e uma massa de aproximadamente 70 Kg. Como alguns dinossauros Ornitísquios (Maiassaura, Edmontssauro, Iguanodonte, etc...) possuia os membros anteriores mais curtos, e assim, podia praticar tanto o bipedalismo (principalmente ao precisar correr), quanto o quadrupedalismo (locomoção sobre quatro patas). Apesar de ser um parente próximo dos Terápodes (carnívoros), era um dinossauro essencialmente herbívoro, então seus hábitos alimentares incluíam a ingestão de folhas, principalmente de gimnospermas, as espécies dominantes na época.

PARA SABER MAIS:

ANELLI, L. E. O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil. Ilustrações de Felipe Alves Elias. São Paulo: Peirópolis, 2010.

Site Faperj. Secretaria de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.faperj.br/boletim_interna.phtml?obj_id=1694


REFERÊNCIAS

ANELLI, L. E. O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil. Ilustrações de Felipe Alves Elias. São Paulo: Peirópolis, 2010.

LEAL, M. D. Apostila Procurando os Dinossauros. Pinhais: PNFM, 2007.

Museu Nacional UFRJ. Evolução de Vida. Unaysaurus Tolentini. Acesso em: 2014. Disponível em: http://www.museunacional.ufrj.br/guiaMN/Guia/paginas/2/11unayssaurus.htm

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 11° Dinossauro encontrado no Brasil. Acesso em 2014. Disponível em: http://www.ufrj.br/detalha_noticia.php?codnoticia=1699

Instituto Ciência Hoje. Descoberto o décimo primeiro dinossauro brasileiro. Acesso em: 2014. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/cacadores-de-fosseis/descoberto-o-decimo-primeiro-dinossauro-brasileiro


Share:

0 comentários:

Postar um comentário