quarta-feira, 26 de novembro de 2014

MÚSICA, CANÇÃO E AS DESCOBERTAS DO ESPAÇO

Por: João Marcos Alberton

Figura 1: Musica e Som. Fonte: Ask FM

As linguagens artísticas, verbais e não verbais moldam-se de um modo comum: as vivências do espaço. Nesta experiência fundamental se desenvolvem a consciência, a percepção e a auto-percepção das pessoas, assim como seu senso de identidade. É o caminho primeiro, único e último, de cada um realizar sua capacidade de sentir e pensar, de sentir-se e pensar-se dentro do mundo em se vive.

A descoberta de espaços, externos e internos a expansão destes espaços em experiências de música e canção, é uma grande aventura para a criança e o aluno. É a medida em que a dependência inicial da criança ou aluno se transforma progressivamente em participação ativa, as formas significativas de suas vivências, assim como as formas de linguagens verbal, corporal e sonora. E deste modo, qualquer conteúdo afetivo que queremos expressar e comunicar aos outros são por nós traduzidos intuitivamente em imagens de espaço.

O mundo de nossa sensibilidade é um mundo de diálogos com as formas da matéria, física ou psíquica. A importância da música nos trabalhos escolares permite intermediar as formas simbólicas tornando possível objetivar as vivências subjetivas de cada aluno. Formadas, objetivadas, estas experiências não só podem chegar ao consciente do aluno, como também podem ser comunicadas como no caso das Cantigas de Roda. Pode-se comunicar aos outros “o quê” se está sentindo e pensando, e os outros poderão avaliar a extensão das nossas emoções e de nossos pensamentos. Tais formas tornam-se elementos integrantes de um modo comum psíquico, coletivo, sobretudo neste sentido cabe entender a importância da simbolização: como processo formador, sensibilizador e comunicador.


REFERÊNCIAS

Texto de autoria própria.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário