quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

APRENDER CIÊNCIA POR MEIO DO FAZER ARTÍSTICO

Por João Marcos Alberton
Figura 01 - Anêmona, foto feita por João Luiz de Fraga Carraro foi a vencedora de 2012
fonte: http://revistapesquisa.fapesp.br/



Considerada muitas vezes como algo de muita complexidade e atribuído a talentos específicos para sua realização, a Arte ainda tem muito que ser explorada dentro do âmbito escolar e na sociedade. Vale ressaltar que varias escolas e professores de arte ou de outra disciplina incrementam seus planejamentos incluindo experiências artísticas tanto nos conceitos de estética quanto no processo criativo, na formação de seus alunos e no desenvolvimento da educação como um todo.

Por meio das linguagens artísticas temos a possibilidade de deslumbrar caminhos desconhecidos e inimagináveis onde o mistério da transformação da matéria educa nossos sentidos e amplia nossa percepção sistêmica do mundo em que vivemos e da sociedade.

Os conceitos básicos das ciências como parte do processo criativo resultam em reações, efeitos: em acasos interessantes e divertidos para as conclusões, indagações e experiências científicas.

Todas as áreas do conhecimento podem ser inclusas nas experiências com Arte e Ciência, enriquecendo a aprendizagem e a compreensão tanto para o aluno, individualmente, quanto em atividade em grupo. Nas escolas vemos relatos de professores com as dificuldades de aquisição de material disponível e recursos didáticos para executar experiências com as expressões artísticas, porem sabem que o desafio em arranjar elementos que compõem parte de uma atividade artística é sempre e necessário à manifestação da criatividade.

Nesta perspectiva, esta ação delibera as artes uma contribuição que vai alem de disciplina de currículo escolar, mas sim, de um produto intrínseco da condição humana. O aluno integra a sensibilidade da humanidade quando tem a Arte como fator de representação, simbolização na educação.

As sugestões que serão descritas abaixo foram elaboradas pela autora Mary Ann F. Kohl e o autor Jean Potter,no livro intitulado “ Descobrindo a Ciência pela Arte: Propostas de Experiências”, com muita simplicidade na interlocução entre Ciência e Arte, e, sobretudo com material de fácil acesso e de custo baixo.

ARGILA DE AREIA – AGLUTINAÇÃO DA MATERIA

Material:
Um copo de areia da praia ou bem fina.
½ copo de amido de milho
½ copo (talvez um pouco mais) de água fervente
Boiler duplo (panela para banho-maria)
Fogão
Assadeira
-Ajuda de um adulto
Experiência artística:
1 - Um adulto pode misturar muito bem a areia e o amido de milho no alto do boiler duplo, no fogão.
2 – Em seguida, um adulto pode despejar a mistura na água fervente e misturar bem.
3 – Cozinhe esta mistura de argila de areia brevemente no boiler duplo até que ela engrosse. (se ficar muito grossa, acrescente um pouco de água fervente.).
4 – Esfrie um pouco a argila de areia antes de modelar. Crie quaisquer formas ou objetos.
5 – Em seguida, coloque o objeto de argila de areia em uma assadeira em um forno na temperatura de 140°C até secar. Ou seque o objeto feito com argila de areia durante vários dias sobre uma prateleira ou mesa.
Variações:
1 – Use argila de areia para fazer objetos de praia, como uma concha, um caranguejo, um barco, um castelo ou um peixe.
2 – Esta receita é facilmente dobrável para se fazer mais argila de areia.

OBSERVAÇÕES:

O amido de milho é usado em culinária como um engrossante. Quando o amido de milho é misturado com areia e água e aquecido no fogo, o amido de milho atua como um cimento e engrossa a mistura, AGLUTINANDO os ingredientes como uma argila de modelar, que é diferente da areia sozinha ou do amido de milho sozinho. Quando um objeto feito com argila de areia é secado no forno ou deixado para secar em uma prateleira, devido ao fato de o amido de milho ter se aglutinado com a areia, o objeto seca e assume uma consistência de rocha dura.

QUADROS SECRETOS – ÓPTICA

Material:
Suco de limão coado
Copo
Pincel
Papel sulfite branco
Ferro de passar
Jornal
- Ajuda de um adulto.
Experiência artística:
1 – Esprema o suco de limão em um copo
2 – Mergulhe um pincel no suco de limão e pinte no papel sulfite branco
3 – Deixe a pintura secar completamente.
4 – Um adulto pode colocar o desenho entre o jornal e passá-lo até aparecer um desenho marrom.
Variações:
Pinte um quadro secreto para um amigo ou membro da família. Deixe-os fazerem o quadro aparecer passando-o com o ferro, como uma surpresa.
Use quadros secretos para escrever uma mensagem secreta ou dar dicas para um tesouro escondido.

OBSERVAÇÕES:

Quando um quadro é pintado com suco de limão, ele seca e se torna um desenho INVISÍVEL. Então, quando o ferro elétrico aquece as marcas do suco de limão, o açúcar natural existente no suco queima e se transforma em uma substância de carbono marrom. Esse suco marrom, queimado, é então visto como a pintura ou quadro secreto.

REPOLHO MÁGICO – ÁCIDO/BASE

Material:
Repolho roxo frresco
Faca
Panela
Fogão
Água
Coador
Tigela
Pincel
Papel branco
Vinagre
- Ajuda de um adulto
Experiência artística:
1 – Corte o repolho em pequenos pedaços com uma faca.
2 – Coloque água até a metade de uma panela com os pedaços de repolho dentro.
3 – Com ajuda de um adulto, coloque a panela no fogo e ferva durante cerca de um minuto. Depois, retire-o do fogo.
4 – Deixe a panela descansar durante aproximadamente 20 minutos.
5 – Coe a água colorida do repolho em uma tigela. Reserve o repolho para comer mais tarde.
6 – Com um pincel, use o suco colorido do repolho para fazer uma pintura sobre o papel.
7 – Deixe a pintura com o suco de repolho secar completamente.
8 – Em seguida, esfregue um pouco de vinagre sobre a pintura para revelar a pintura mágica. A cor da pintura vai passar de roxo a cor-de-rosa.

OBSERVAÇÕES:
Muitos alimentos comuns como o vinagre e limão têm um gosto azedo e são chamados de ÁCIDOS. Outros alimentos como leite e bicarbonato de sódio são chamados BASES. O suco de repolho é um INDICADOR ÁCIDO/BASE, o que significa que ele vai determinar o nível ácido/base de uma substância mudando a sua cor. Quando o vinagre toca a pintura feita com suco de repolho, a pinturas passa de roxo a cor-de-rosa, indicando que o vinagre é um ácido.
Referência Bibliográfica:
Kohl, Maryann F. Descobrindo a ciência pela arte: propostas de experiências/MaryAnn Fohl e Jean Potter; trad. Magda França Lopes. – Porto Alegre : Artmed, 2003.


Referências: 

Fonte: pesquisa FAPESP



Share:

0 comentários:

Postar um comentário