terça-feira, 6 de janeiro de 2015

GRANDES MATEMÁTICOS: KEPLER


Por Wellington Schühli De Carvalho


Eu media os céus, e agora medirei as sombras da terra. Apesar de minha alma vir dos céus a sombra de meu corpo descansa aqui.
 Epitáfio de Kepler

A frase acima foi colocada no túmulo de Kepler. Escrita por ele mesmo, traz a sua natureza para marcar a história. Nascido, em dezembro de 1571 em um território que hoje faz parte da Alemanha, Johannes Kepler advinha de família humilde e pobre, mas desde jovem se mostrou uma mente brilhante. Como seu antecessor Copérnico, que o inspirou em seus trabalhos, Kepler era profundamente religioso e buscava obsessivamente compreender a origem do universo e suas propriedades essenciais.

A sua busca por uma precisão absoluta de seus cálculos tornou os seus trabalhos de pesquisa um ponto crucial para a aceitação da teoria heliocêntrica- centrada no sol- do sistema planetário. Foi também a Terceira Lei de Kepler que levou Issac Newton (e não uma maçã como muitos pensam) a descobrir a Lei da Gravidade. 

Sua importância histórica para áreas como a matemática, a astronomia e a física são inegáveis. Entretanto, a vida deste grande gênio foi marcada por grandes tragédias, como a morte de seus filhos, guerras e períodos conturbados. O julgamento de sua mãe como bruxa o fez desistir por anos de suas pesquisas. Por estes motivos recorreu muitas vezes a publicações de calendários astrológicos e horóscopos para obter recursos e, apesar de sua descrença nestas áreas, seus resultados eram bastante precisos. 

Figura 01 - Johannes Kepler.
 Fonte: en.wikipedia.org
Muitas de suas obras são de tamanha importância que até hoje são ensinadas nas aulas de física como, por exemplo, as três Leis que governam o universo: 1ª Lei de Kepler- Lei das Órbitas: os planetas descrevem órbitas elípticas em torno do Sol, que ocupa um dos focos da elipse. 2ª Lei de Kepler - Lei das Áreas: o segmento que une o sol a um planeta descreve áreas iguais em intervalos de tempo iguais. 3ª Lei de Kepler - Lei dos Períodos: o quociente dos quadrados dos períodos e o cubo de suas distâncias médias do sol são igual a uma constante k, igual a todos os planetas. A descoberta que permitiu a elaboração destas leis foi que as órbitas planetárias não eram círculos, mas elipses.

Durante sua carreira, Kepler foi professor de matemática em uma escola seminarista em Graz, Áustria e assistente do astrônomo Tycho Brahe, o matemático imperial de Rodolfo II e de seus dois sucessores, Matias I e Fernando II. Também foi professor de matemática em Linz, Áustria, e conselheiro do general Wallenstein. Adicionalmente, fez um trabalho fundamental no campo da óptica, inventou uma versão melhorada do telescópio refrator (o telescópio de Kepler) e ajudou a legitimar as descobertas telescópicas de seu contemporâneo Galileu Galilei.

Todos estes feitos ajudaram a tornar Kepler um dos gênios da matemática e deste modo suas descobertas nortearam diversos outros cientistas que, com suas teorias, moldaram uma verdadeira imagem do universo. 



REFERÊNCIAS

HAWKING, Stephen. Os Gênios da Ciência. 1ª Edição, Rio de Janeiro, Editora: Campus - BB, 2005.

História da Astronomia. Johannes Kepler. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Johannes_Kepler.  Acceso em 10/10/2014.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário