sábado, 2 de abril de 2016

Quem inventou o Telescópio?

Figura 01: Telescópios Keck, Mauna Kea/Havaí. Fonte: Wikimédia.

Quando se fala na “invenção” do Telescópio, geralmente o primeiro nome a ser sugerido é Galileu Galilei (1564-1642) porém, a história deste instrumento que fora tão importante para a Astronomia não se resume apenas a um nome. 

Com surgimento da imprensa e a distribuição de livros, ocorreu aumento do interesse literário e estimulo pela teoria heliocêntrica de Nicolau Copérnico (1473-1543), resultando em uma maior atenção voltada a “filosofia natural” e ao estudo do que chamamos de Óptica, área da Física que nos permite entender o funcionamento do Telescópio.

Foi em meados de 1609, que Galileu Galilei, responsável por empregar o telescópio cientificamente, publica “Sidereus Nuncius”. A obra relata observações de irregularidades no solo lunar, que a Via-Láctea era composta por estrelas, Júpiter era acompanhado por luas, entre outras observações. Estas conclusões foram extremamente importantes para as mudanças que ocorreram na Astronomia, pois iam de encontro com a teoria sugerida por Copérnico, causadora de polêmica por ir contra o pensamento aristotélico tão aceito até aquele momento. 

Mas o que teria ocorrido realmente? Se não fora Galileu, quem foi? Na verdade, não podemos afirmar nada porém, o que nos é sugerido nos registros é que Galileu teria ouvido relatos de um instrumento chamado luneta, que permitia a observação de objetos distantes e resolveu construir a sua versão do mesmo. Tal instrumento teria sido desenvolvido por Hans Lippershey (1570-1619). Os relatos, em sua maioria, sugerem uma descoberta acidental: alguns afirmam ter sido fruto da brincadeira de suas filhas com duas lentes, outros que ele como comerciante de óculos, certo dia durante o trabalho, teria acidentalmente feito a combinação das lentes e então percebido o fenômeno. 

Além do holandês Lippershey, que teria declarado participação no desenvolvimento do instrumento óptico precedente ao Telescópio, o Italiano Giambattista dela Porta (1535-1615) reclamou a patente quanto à combinação de lentes após a publicação das observações astronômicas de Galileu. 

Giambattista teria sido responsável por fornecer explicação para base de funcionamento da luneta de Galileu. Ele, que se considerava um mago natural, escreveu Magia Naturallis, livro em que se encontram suas descobertas ao tentar desvendar os vários segredos da natureza, sendo que os relacionados à Óptica receberam atenção especial, escrevendo ainda, um tratado sobre Refração. Em ambas as obras se encontram as explicações quanto à combinação de lentes sendo utilizadas como prova de sua contribuição. 

A questão referente à patente do telescópio é realmente muito complexa. Como dito, geralmente pesquisas superficiais - como as realizadas na internet - a atribuem a Galileu Galilei. Isso provavelmente se deve que, através do aperfeiçoamento alcançado por ele de tal instrumento, teve as condições para realizar as observações apresentadas em Sidereus Nuncius, tão importantes no desenvolvimento da Astronomia. 

Desta maneira, não podemos atribuir a alguém em específico o desenvolvimento do Telescópio ou qualquer outro instrumento, pois se trata de construção de conhecimento conjunto. Não se trata de gênios mitificados, mas sim, de varias pessoas em diferentes lugares do mundo estudando os mesmos fenômenos e contribuindo para facilitar as nossas vidas. E você pode ser uma delas! 

Por Letícia Patrício Cristopholi


REFERÊNCIAS


CHRISTOPHOLI, Leticia Patricio. História da Física na Pratica Pedagógica: História da Astronomia na Educação Básica. 

RONAN, Colin A. História Ilustrada da Ciência III. Editora: Circulo do Livro S.A, 1987.

SAITO, Fumikazu. O telescópio na magia natural de Giambattista dela Porta. EDUC/Livraria da Física Editorial: FAPESP, 2011.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário