segunda-feira, 5 de maio de 2014

A MATEMÁTICA E O FAROESTE AMERICANO

Por: Ednison Rotini

Figura 1: Caubói fazendo o tiro de laço
Fonte: Forwallpaper

Ao ler o título deste texto, você deve estar se perguntando: “Qual é a relação entre a Matemática e o faroeste americano?” Pois é, a princípio nenhuma. Entretanto, alguns cientistas estão trabalhando nesse momento tentando criar equações matemáticas para explicar os truques de laço que caubóis americanos fazem durante apresentações. O intrigante é que até agora, ainda não tinha sido possível explicar com detalhes os mecanismos físicos e matemáticos envolvidos nos truques com laços realizados por caubóis americanos.

A utilização do laço durante o manejo e o trato com o gado nas fazendas surgiu a mais de um século nas terras norte americanas e depois começou a ser praticada em diversos eventos, como o rodeio, em vários locais pelo mundo. E alguns começaram a utilizar a técnica para fazer apresentações artísticas e festivais e festas folclóricas.  

Atualmente, um físico francês, chamado Pierre-Thomas Brun, inspirado pelos filmes de faroeste desde a sua infância, resolveu estudar a questão física e matemática relacionada com os movimentos feitos com o laço. Esse cientista apresentou recentemente seu estudo num congresso da Sociedade Americana de Física, em Denver, nos Estados Unidos.

De acordo com os estudos de Brun, uma corda se enrola e se torce como qualquer outro fio com propriedades elásticas seja um fio de cabelo ou até mesmo um cabo submarino e, desse modo, segue as mesmas equações que regem o comportamento de outros materiais como o laço.

O físico afirma que qualquer pessoa pode realizar o movimento mais simples, conhecido como “laço plano”, no qual o laço gira numa mesma posição paralela ao chão, ao cumprir algumas poucas regras. 


Figura 2: Movimento do “Laço Plano”
Fonte: BBC

O primeiro passo é fazer um laço com cerca de 70% da extensão total da corda que será utilizada. Em seguida, deve-se realizar o giro em uma frequência lenta, de cerca de 2 hertz. E outra dica importante deixada por Brun, é que a corda deve passar entre o dedão e o indicador a cada volta para evitar que ela fique torcida. Que tal, você tentar?
Técnicas parecidas como essa também são utilizadas num esporte olímpico que é a ginástica rítmica na categoria fita, praticada atualmente somente por mulheres, no qual o destaque fica por conta da leveza e da elegância dos movimentos.

Figura 3: Ginástica Ritmica – Categoria Fita
Fonte: GlobalFitness
Voltando ao laço americano, o físico conseguiu elaborar modelos matemáticos mais complexos na tentativa de explicar melhor os truques sofisticados. Entretanto, Brun ressalta que não basta seguir as equações para realizar esses movimentos, pois também é preciso muita prática e precisão. Por isso, ele e outros cientistas desenvolverão um robô para executar os movimentos avançados, pois a intenção é aplicar esse conhecimento na indústria de computação gráfica.


E para finalizar, Brun nos deixa uma frase: 
“Para animar o rodar de uma saia ou os movimentos de um cabelo cacheado, é possível seguir equações similares que regem os movimentos do laço”.

Figura 4: Físico Pierre Thomas Brun
Fonte: Zap Notícias


REFERÊNCIAS:

MORGAN, James. Cientista Cria Equações para Explicar Truques de Laço de Caubóis. Ciência e Tecnologia. BBC Brasil. Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/03/140307_truque_cauboi_rb.shtml>

SEED, Paraná. História da Ginástica Rítmica. Disponível em: <http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=166> 

http://www.youtube.com/watch?v=88t7LbNENuY (narração em inglês)

Share:

0 comentários:

Postar um comentário